quarta-feira, 29 de janeiro de 2014

PAGA A TUA DÍVIDA

 

PAGA A

TUA DÍVIDA

II Rs. 4: 1-7


 

Introdução:

- Uma das coisas que mais tem perturbado as pessoas desde que o ser humano existe sobre a face da terra, são as dívidas.

- Pagar as dívidas possivelmente seja o grande sonho da maioria das pessoas.

- É interessante a expressão que se usa quando se fala em pagar dívidas: “Não vejo a hora de me libertar das dívidas”. Ou seja, dívida é sinônimo de prisão, cadeia.

- Quem deve é como quem está preso. Aliás, aqueles que transgrediram a lei, passam a ser devedores da sociedade e por isso são presos.

1. Dívidas produzem conseqüências (vs. 1).

- Dívida é uma coisa que pode existir na vida de crentes e descrentes. Basta não se planejar adequadamente que elas surgem. Depois não adianta orar para Deus pagar, que Ele não vai fazê-lo. Ele nos ensina métodos de planejamento para aplicarmos à vida e nos livrar delas.

- A viúva lembra ao profeta Eliseu da vida dedicada a Deus do marido dela, no entanto ele deixou tantas dívidas que seus filhos estavam correndo o risco de serem levados como escravos para pagarem as dívidas que o pai deixara.

- Qualquer dívida traz conseqüências.

- O pecado produz sérios transtornos para a vida. O amor também gera um grande débito (Rm. 13: 8).

2. “Em que posso te ajudar? O que você tem” (vs. 2a)?

- O profeta parece ficar um tanto embaraçado com a abordagem da mulher. Eliseu exclama: “O que eu posso fazer?” Tem vez que é difícil até ajudar alguém, mesmo quando temos toda a boa vontade.

- No entanto, devemos procurar ajudar a todos e, quando não soubermos o que fazer, devemos perguntar à própria pessoa o que ela tem, ou pode começar a fazer para se ajudar.

3. “Só tenho um vaso de azeite” (vs. 2b).

- Sempre temos alguma coisa. Ninguém é totalmente destituído de recursos.

- Deus age a partir de ferramentas que Ele já pôs à nossa disposição, e que parece que nunca a vemos, como aconteceu com Moisés, com o rapaz que possuía cinco pães e dois peixes, com Davi e sua funda. Quando isso é entregue em Suas mãos o milagre acontece.

- O conselho de Eliseu vai tomar por base o que a mulher tem, não o que ela não tem. É dentro da sua realidade que ela vai obter o que precisa.

4. “Faça um investimento” (vs. 3).

- Existe muita diferença em se fazer um empréstimo e um investimento.

- O empréstimo é feito com o fim de suprir uma necessidade, que é normalmente contraída por falta de planejamento.

- O empréstimo é como encher-se uma caixa de água em dia de falta do produto e esvaziá-la em seguida para suprir a sua falta.

- O investimento parte do planejamento para se acumular recursos aos que já se tem e fazê-los produzir para o futuro.

- Eliseu aconselhou a viúva do profeta a investir na fé. Você é capaz de investir pela fé?

5. “Entra, fecha a porta e, junto com a família, derrama o azeite até encher o vaso” (vs. 4).

- Eliseu manda a viúva tomar uma providência interessante: entre na sua casa, junto com sua família e feche a porta. Isso significa que uma família só pode obter sucesso se for unida, se puder conversar, acertar as diferença e cultivar a paz.

- Depois, o azeite, que simboliza o Espírito Santo, “encherá os vasos até transbordarem”.

- A fórmula do sucesso para uma família crente é esta: união, oração, perdão, planejamento e confiança em Deus.

6. Trabalhando em conjunto e no mesmo propósito (vs. 5).

- Cada um fazendo a sua parte, sem briga, sem contendas e sem reclamações: os filhos traziam os vasos e a mãe os enchia. Todos trabalharam para o bem comum.

7. Sucesso do trabalho realizado em união e no temor de Deus (vs. 6).

- A família unida pode preparar todos os vasos para serem cheios pelo Senhor.

- O trabalho realizado em união e no temor do Senhor é um grande sucesso.

Conclusão:

- O investimento realizado sob a autoridade de Deus, partindo de uma necessidade real (não apenas da ganância), também é usufruído de acordo com a vontade de Deus.

- Da mesma forma que a mulher dirigiu-se ao profeta pedindo orientação e ajuda diante da sua necessidade, obtido o recurso ela volta a procurar o profeta o qual lhe orienta sobre o que fazer com os recursos obtidos de Deus.

- Que a nossa vida possa ser orientada em tudo por Deus, tanto para obter recursos, como para aplicá-los de acordo com a Sua soberana e santa vontade. Só assim pagaremos nossa dívida!

FONTE: IBB Valparaíso, 05 de junho de 2011.
Pr. Paulo Guedes Soares.
www.ibbv.org.br

 

++++++++++++++++++++++++++

+++++++++++++++++++++++++++

++++++++++++++++++++++++++++

+++++++++++++++++++++++++++++

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.